Atualizações em Distúrbios do Movimento – Fev/14

Publicado: 13/03/2014 em Distúrbios de Movimento
Tags:, , , ,

Distúrbios de movimento em mulheres: uma revisão

(“Movement disorders in women: A review”)

Rabin MLStevens-Haas CHavrilla EDevi TKurlan R

Mov Disord. 2014 Feb;29(2):177-83

Abstract: O campo da saúde da mulher foi desenvolvido baseado no reconhecimento de que há importantes diferenças entre sexos associadas a vários aspectos das doenças. Nós fizemos uma revisão da literatura para obter informações sobre diferenças entre mulheres e homens para distúrbios de movimento neurológicos. Nós identificamos diferenças importantes na prevalência, genética, expressão clínica, curso clínico e respostas aos tratamentos. Além disso, nós vimos que eventos da vida das mulheres, como menstruação, gravidez, aleitamento, menopausa e medicações prescritas apenas para mulheres (como contraceptivos orais e terapia de reposição hormonal) têm implicações significativas para mulheres com distúrbios de movimento. O entendimento destes dados biológicos sexo-específicos podem ajudar a melhorar a qualidade e individualização dos cuidados para mulheres com distúrbios de movimento, e pode fornecer novas ideias sobre mecanismos neurobiológicos.

Comentário: Em homenagem ao Dia Internacional das Mulheres, apresentamos uma revisão sobre aspectos específicos de alguns Distúrbios de Movimento em mulheres, em geral relacionados com diferenças epidemiológicas e algumas peculiaridades das doenças no segmento feminino. Algumas destas especificidades têm relação com eventos específicos, como menstruação, gestação e a menopausa (por exemplo, as poucas mulheres com doença de Parkinson que engravidaram tiveram alguma piora dos sintomas durante a gravidez, e a levodopa pode ser usada sem problemas, ao contrário da amantadina e selegilina, que são teratogênicos). O artigo deve ser lido sem muitas pretensões, mas é uma rara fonte de informações importantes para especialistas em Distúrbios de Movimento.

Link: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/24151214

——————————————————————————————————————————————————————

Mais do que na sinapse neuromuscular: ações da neurotoxina botulínica A no sistema nervoso central

(“More than at the Neuromuscular Synapse: Actions of Botulinum Neurotoxin A in the Central Nervous System”)

Mazzocchio RCaleo M

Neuroscientist. 2014 Feb 26. [Epub ahead of print]
 

Abstract: A neurotoxina botulínica tipo A (BoNT/A) é uma metaloprotease que produz um bloqueio sustentado, porém transitório, da liberação de neurotransmissores dos terminais nervosos periféricos. A administração local desta neurotoxina é empregada com sucesso na prática clínica para se reduzir a hiperatividade muscular, como em espasticidade e distonias, e para aliviar dores com efeitos terapêuticos duradouros. Entretanto, nem todos os efeitos da BoNT/A podem ser explicados pela ação nos terminais nervosos periféricos. De fato, parece que a BoNT/A tem capacidades de tráfico similares a da neurotoxina tetânica, sendo então capaz de afetar diretamente o sistema nervoso central. Nesta revisão, nós apresentamos e discutimos atuais evidências que sugerem um efeito direto central da BoNT/A nos cornos dorsal e ventral da medula espinhal em animais e humanos após injeção periférica da neurotoxina, com importantes consequências sobre a dor e o controle motor. Espera-se que este novo conhecimento possa mudar radicalmente a abordagem no uso da BoNT/A no futuro. Como as ações centrais da BoNT/A parecem também contribuir para a melhora funcional, no caso da marcha humana espástica, o desafio será se desenvolver novos subtipos ou derivados da BoNT com efeitos centrais deliberados e célula-específicos para se explorar completamente o espectro de ações terapêuticas da BoNT.

Comentário: O uso da toxina botulínica (TxB) tem revolucionado tratamentos como o da espasticidade e distonia, assim como o de algumas síndromes dolorosas, como a migrânea crônica. Contudo, cada vez mais percebemos que apenas as ações periféricas não justificam todas os efeitos clínicos resultantes da aplicação da TxB. Esta revisão faz uma extensa e abrangente revisão dos mecanismos conhecidos de atuação da toxina no sistema nervoso central, através de sinalização axonal retrógrada, modulando importantes vias de feedback motor, como a das fibras musculares intrafusais, e chegando mesmo até a medula espinhal, onde atua na complexa circuitaria do arco reflexo. O texto também aborda os mecanismos centrais de bloqueio de dor baseados na TxB. Além disso, fala sobre a nova geração de toxinas botulínicas, que estão sendo sintetizadas para atuar em situações específicas, o que trará uma grande revolução futura no uso das TxB na prática médica. Artigo imperdível para os aplicadores de toxina!

Link: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/24576870

——————————————————————————————————————————————————————

Efeitos sobre humor e comportamento da estimulação subtalâmica na doença de Parkinson

(“Mood and behavioural effects of subthalamic stimulation in Parkinson’s disease”)

Castrioto ALhommée EMoro EKrack P

Lancet Neurol. 2014 Mar;13(3):287-305

Abstract: A estimulação cerebral profunda (DBS) do núcleo subtalâmico (NST) é um tratamento estabelecido para complicações motoras na doença de Parkinson (DP). Vinte anos de experiência com este procedimento contribuíram para uma compreensão melhor do papel do NST no controle motor, cognitivo e emocional. Na DP, a atividade neuronal patológica do NST provoca uma inibição motora, cognitiva e emocional. A deaferentação do NST pelo DBS pode reverter algumas destas inibições comportamentais. A liberação deste “freio” permite melhoras tanto motoras quanto não-motoras, mas também podem estar associada com desinibição motora excessiva, cognitiva e comportamental emocional. Reciprocamente, a notável redução na dose da medicação antiparkinsoniana permitida pela melhora motora pode revelar comportamentos hipodopaminérgicos mesolímbicos, como apatia, ansiedade e depressão. O ajuste fino dos parâmetros de estimulação com drogas dopaminérgicas é necessário para se prevenir ou melhorar comportamentos patológicos.

Comentário: O papel do NST é ignorado pela maioria dos neurologistas. No passado, era associado apenas ao anedótico achado de hemibalismo, porém a evolução do conhecimento sobre os núcleos da base e, principalmente, com o início da DBS alvejando este núcleo, esta região tem se mostrado uma estrutura tão importante quanto o próprio estriado na modulação do controle motor. Contudo, cada vez mais temos maiores evidências de que o NST é também um importante núcleo de modulação de processos emocionais, cognitivos e comportamentais. Esta grande revisão mostra estes vários aspectos, aliando dados oriundos de modelos animais com os achados dos estudos envolvendo DBS no NST em humanos. Um dos achados mais interessantes de minha dissertação de mestrado (dados ainda não publicados) foi a maciça presença de neurônios que expressam óxido nítrico neste núcleo, além de sugerir que a área límbica seja a mais povoada por estas células. Penso que grande parte desta modulação de circuitos não-motores nos núcleos da base, incluindo o NST, seja baseada em neurotransmissores não-dopaminérgicos, os quais também estão sendo afetados pela estimulação elétrica. Infelizmente, ainda não conhecemos nada sobre como o DBS atua em vias não-dopaminérgicas.

Link: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/24556007

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s