Divulgação de Artigo – Höllerhage et al., 2014

Publicado: 06/12/2014 em Divulgação de Artigo
Tags:, , ,

Imagem1

Desta vez, tenho grande prazer em divulgar um artigo que teve crucial participação de duas pessoas importantes na minha formação científica: minha primeira orientadora, Profa. Dra. Elizabeth Yamada, e um ex-companheiro de laboratório, Anderson de Andrade. Fomos companheiros no Laboratório de Neurologia Experimental (LaNEx) da Universidade Federal do Pará. Ambos trabalham em cooperação com um grande grupo de pesquisa liderado pelo Prof. Günter Höglinger, de Marburg (Alemanha), que investiga o papel de toxinas naturais em doenças neurodegenerativas.

Segundo a Profa. Yamada, este artigo segue uma “linha de evidências de que uma inibição do complexo I mitocondrial pode ser o mecanismo pelo qual toxinas ambientais naturais poderiam contribuir para o aparecimento ou agravamento de patologia cerebral envolvendo a proteína tau. Essa hipótese vem sendo investigada desde a década de 90 (Caparros-Lefebvre e Elbaz, 1999), a partir da observação de que a alta incidência de parkinsonismo atípico (com taupatia cerebral detectada no exame post mortem) estava associada com o alto consumo de plantas anonáceas (e.g. graviola) ricas em acetogeninas como a anonacina (um potente inibidor do complexo I). Em um artigo anterior publicado em janeiro deste ano (Yamada et al., 2014), nós mostramos que camundongos transgênicos portadores da mutação R406W (uma FTDP-17) tinha sua taupatia acelerada após apenas 3 dias de exposição sistêmica à anonacina. Entretanto, como a anonacina está presente apenas em plantas tropicais tipo a graviola, que ocorrem naturalmente apenas nos trópicos, no artigo do PLoS recém publicado, nós fizemos estudo semelhante, usando um outro tipo de inibidor do complexo I, de ocorrência mais ubíqua, e em uma outra linhagem transgênica (P301S)”. O ponto principal destes trabalhos é que mostraram existir, no meio ambiente, toxinas naturais que são potentes inibidores do complexo I, e que a exposição a elas pode contribuir para as doenças neurológicas envolvendo disfunções da tau, especialmente em indivíduos mais susceptíveis por um fator genético.

O artigo pode ser lido na íntegra GRATUITAMENTE no link http://www.plosone.org/article/fetchObject.action?uri=info%3Adoi%2F10.1371%2Fjournal.pone.0113557&representation=PDF

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s