Corpo Editorial

– Editor Geral do Site: Bruno Lopes Santos-Lobato, MD, MSc

– Colaboradores Atuais:

     Henrique da Costa Miranda – Acadêmico do 6º ano do Curso de Medicina – Universidade do Estado do Pará

– Colaboradores Anteriores: Érika Horta, Roberto Satler Cetlin, João Filipe de Oliveira, Bruno Z. Monnerat, Guilherme G. R. Rodrigues, Luis Fernando Canno, Luis Henrique de Castro Afonso, André Clériston José dos Santos, Pedro Telles Cougo-Pinto, Marcus Vinícius Magno Gonçalves, Aline Vieira Scarlatelli Lima.

comentários
  1. Fabiana disse:

    Boa noite! Tenho distonia cervical a mais ou menos 4 anos… Gostaria de saber como vão as pesquisas em relação a distonia… suas causas, progresso para a cura, etc etc… Vocês acham que ela pode estar co-relacionada a doença de Parkison? Afinal de contas qual é a causa da distonia, especialmente a cervical?

    • neuropil disse:

      Olá Fabiana, boa noite. O grande problema da distonia é que ela não é uma única doença, mas sim uma síndrome provocada por várias doenças diferentes, e a maioria dos casos ainda nem tem causas conhecidas. Isso dificulta a possibilidade de um tratamento curativo. Atualmente, o principal tratamento para distonias (incluindo as cervicais) é a aplicação de toxina botulínica. Mesmo sendo originárias de disfunções nas mesmas estruturas encefálicas, as distonias não tem associação de causa-efeito com a doença de Parkinson.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s